TRF 3 define organizadora de próximo concurso


O Tribunal Regional Federal da 3ª Região, que engloba os Estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul, informou que a Fundação Carlos Chagas (FCC) será a empresa responsável pela organização do próximo concurso para servidores do órgão. O documento foi publicado na edição desta quinta-feira (26) do Diário Oficial da União.

Para concorrer a técnico, o candidato deve possuir o nível médio. O salário inicial chega a R$ 4.623. O cargo de analista exige nível superior e conta com remuneração de R$ 7.181,52. Os aprovados ainda têm direito a benefícios como auxílio-alimentação e auxílio-transporte.

Informações do tribunal no início do ano davam conta de que havia pelo menos 50 cargos disponíveis, entre eles os analista judiciário (10), técnico judiciário (29) e auxiliar judiciário (11), distribuídos entre diversas áreas de especialização. Na época, a comunicação do TRF declarou que "o quantitativo de vagas e os cargos a serem disponibilizados no concurso público só serão definidos por ocasião da expedição do respectivo edital”.

Atualmente, o TRF3 conta com um quadro de pessoal de 1.867 servidores, sendo 599 analistas judiciários, 1.234 técnicos judiciários e 34 auxiliares judiciários.

No final do ano passado, o tribunal havia conseguido a aprovação de crédito suplementar no valor de R$ 8,3 milhões pelo Congresso Nacional, montante através do qual será viabilizada a abertura da próxima seleção.

Em 2007, ano do último edital para servidores do TRF 3, a organização também coube à Fundação Carlos Chagas. Foram abertas 112 oportunidades para técnico e analista, distribuídas por ambos os Estados. Para analista, as ofertas eram para profissionais com formação em direito, arquitetura, biblioteconomia, ciências contábeis, engenharias civil e elétrica, análise de sistemas, medicina, odontologia, psicologia e serviço social. Já para técnico, a seleção envolvia as áreas administrativa, de apoio especializado em contabilidade, informática, operação de computador e segurança. Na ocasião, os salários previstos eram de R$ 2.915 (técnico) e R$ 4.796,47 (analista). O prazo de validade venceu em abril do ano passado.

A Justiça Federal costuma convocar mais candidatos do que o número de vagas oferecido. Nesta seleção de 2007, por exemplo, foram oferecidas 26 vagas de analista judiciário – área judiciária e foram convocados 107 candidatos. Para o cargo de técnico judiciário – área administrativa, de 55 vagas previstas, 230 foram chamados.

Alterações no edital

A comissão organizadora estuda mudanças tanto para a carreira de técnico quanto analista judiciário. Para o primeiro, o objetivo é aumentar a carga de conteúdo na área de direito. E para todas as carreiras, inclusive analista, o plano é abolir a prova prática de formatação de texto e digitação. Porém, essas medidas ainda dependem de aprovação interna para vigorar.

Na parte de conhecimentos gerais estarão presentes as disciplinas de português, matemática e raciocínio lógico. Já na parte dos conhecimentos específicos, além de noções de direito administrativo e direito constitucional, deverão ser acrescentadas as matérias de noções de direito processual civil de direito processual penal, sendo excluída a disciplina de direito penal. Os candidatos podem tomar como base o conteúdo do último edital do concurso para o Tribunal Regional Federal da 2ª Região.

O TRF 3 foi criado junto com outros quatro tribunais – cujas sedes ficavam em Brasília, Rio de Janeiro, Porto Alegre e Recife – pela Constituição de 1988, com o objetivo de substituir e regionalizar a jurisdição do extinto Tribunal Federal de Recursos (TFR). O tribunal atualmente é responsável por mais de 50% das ações apresentadas na Justiça Federal de todo o país.

0 comentários: