Órgãos federais poderão abrir mais de 18 mil vagas em 2011

http://lh3.ggpht.com/_fBY07WDMmrE/TBPWReWKiQI/AAAAAAAAm0E/iSEpYJJ75uY/Concursos%202011.JPG



A Copa do Mundo e as eleições – em que escolhemos presidente, governadores, senadores e deputados – marcaram o ano de 2010 no Brasil. No setor de concursos, vários processos foram lançados e movimentaram o segmento, a exemplo da tão aguardada seleção do Ministério Público da União (MPU) e do processo seletivo simplificado do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que selecionou quase 200 mil pessoas para atuação no Censo 2010. Agora, com as festas de fim de ano  batendo à porta, é hora de conferir os concursos que chegarão junto com 2011. E não são poucos. Na esfera federal, há expectativa de que diversos órgãos realizem novos processos seletivos no ano que está por vir. Estão previstas mais de 18,7 mil novas vagas no INSS, Correios, Polícia Federal, Senado, entre outros órgãos. 

Confira:

Correios – Motivo de grande polêmica durante todo o ano de 2010, a Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos anunciou, em dezembro, que fará novo concurso. Segundo a assessoria de imprensa do órgão, o edital definitivo será publicado já no início de janeiro. A previsão é que, desta vez, sejam ofertadas aproximadamente dez mil vagas para todo o país. Até agora, estão confirmadas oportunidades para os cargos de atendente comercial, carteiro e operador de triagem e transbordo. Todas as atividades pedirão ensino médio completo dos candidatos e contarão com taxa de inscrição de R$ 30. Segundo a assessoria, também poderão ser disponibilizadas chances para carreiras de nível superior. Os Correios esperam aplicar as provas do novo concurso até abril do próximo ano e as contratações poderão acontecer ainda no primeiro semestre.
A empresa devolverá, a partir de janeiro, os valores referentes às taxas de inscrição da seleção de 2010, que oferecia 6.565 vagas. Mais de um milhão de pessoas se inscreveram neste concurso, que foi cancelado. 

Polícia Federal – Já estão no Ministério do Planejamento (MPOG) três solicitações da Polícia Federal (PF) para abrir um total de 1.352 oportunidades. As autorizações deverão ocorrer em breve.
Os futuros concursos serão para as atividades de papiloscopista (116 vagas), agente de polícia (396), delegado (150), escrivão (362) e agente administrativo (328). Para concorrer às ofertas de agente administrativo, será preciso ter nível médio, enquanto as outras quatro carreiras pedirão ensino superior. Para delegado, será exigida a graduação em direito, mas os cargos de papiloscopista, agente de política e escrivão pedirão apenas curso superior em qualquer área.
De acordo com a assessoria de imprensa da PF, como o processo para abertura das vagas de agente administrativo já tramita há algum tempo no Planejamento, a meta é lançar o edital para esta carreira assim que o aval do ministério sair. A ideia é promover, em seguida, os outros quatro concursos, mas terão prioridade as seleções de agente de polícia e papiloscopista. Os processos seletivos para delegado e escrivão deverão ser lançados posteriormente. 
Como explicou a assessoria da PF, a atual política da instituição é que os policiais recém-aprovados sejam enviados para atuação na região Norte do país e nos locais de fronteira. Normalmente, a Polícia Federal divulga, somente no final do curso de formação, os locais para os quais haverá vagas.

INSS – Vinculado ao Ministério da Previdência Social, o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) é outro órgão que aguarda o aval do Planejamento para realizar novo processo seletivo.
Estão previstas 2.500 oportunidades, sendo duas mil para técnico e 500 para analista do Seguro Social. Além destas vagas, também poderá haver novo processo seletivo para perito médico previdenciário, pois tramita no Senado um projeto de lei que cria 500 cargos de médico no INSS, os quais deverão ser preenchidos através de concurso.
A função de técnico exige apenas nível médio. Já para concorrer às chances de analista, o candidato precisa ter graduação superior completa. É comum o instituto oferecer vagas para formados em qualquer curso e também para profissionais de áreas específicas, como psicólogos, engenheiros, terapeutas ocupacionais, entre outros. Para perito, exige-se a conclusão do curso de medicina e o registro no respectivo órgão de classe, no caso o Conselho Regional de Medicina (CRM). As remunerações iniciais, segundo a  assessoria de imprensa do órgão, giram em torno de R$ 4.600 para analista, R$ 2.600 para técnico e R$ 4.100 para perito.

Valec – A Valec Engenharia, Construções e Ferrovias Ltda, estatal vinculada ao Ministério dos Transportes, já se movimenta para lançar o seu primeiro concurso em 2011. Com previsão inicial de abertura de 180 vagas, o órgão reavaliou tal projeção e, agora, a expectativa é que sejam abertas cerca de 1.200 oportunidades, entre efetivas e de cadastro reserva (CR). O pedido para realização do processo seletivo será encaminhado ao Planejamento nos próximos dias, segundo a assessoria de imprensa da Valec, e a expectativa é que o edital possa ser divulgado até o fim do primeiro semestre de 2011.
A seleção deverá disponibilizar vagas de assistente técnico administrativo (50 + 90CR) para quem possui ensino médio e ofertas de analista (250 + 800CR) para candidatos com nível superior. As chances de analista deverão ser para concurseiros com formação em qualquer curso superior e também para áreas específicas: arquitetura, administração, comunicação, engenharia, direito, análise de sistemas e ciências da computação, assistência social, enfermagem do trabalho, psicologia, ciências contábeis, economia e medicina do trabalho. Com salários iniciais previstos de R$ 2.250 (assistente) e R$ 4.500 (analista), as oportunidades serão para a capital federal, Brasília (DF).

Senado – A mesa diretora do Senado Federal aprovou, recentemente, a proposta para realização de concurso em 2011. A seleção deverá abrir 180 vagas de níveis médio e superior e ainda formar cadastro reserva (CR). A definição dos cargos e a contratação da empresa organizadora ainda serão discutidas pela mesa diretora, mas já há a expectativa de que as provas do processo seletivo aconteçam no segundo semestre.
De acordo com o portal da transparência do Senado, o salário inicial para as carreiras de nível médio é de R$ 3.168,04 e para as carreiras de nível superior é de R$ 4.873,90. Entretanto, esses valores aumentam consideravelmente se o profissional atuar junto aos gabinetes dos senadores, graças a diversos adicionais. Para técnico legislativo (nível médio), o vencimento sobe para R$ 13.200 e, para analista legislativo, chega a R$ 17.465,68.

Ibama – O Instituto de Recursos Naturais Renováveis (IBAMA), ligado ao Ministério do Meio Ambiente (MMA), é outro órgão que também espera o sinal verde do Ministério do Planejamento para promover seleção. O Ibama solicitou a abertura de 362 oportunidades, das quais 324 serão para técnico administrativo (nível médio) e R$ 38 para analista administrativo (nível superior).
De acordo com informações da assessoria do Ibama, as ofertas para analista serão distribuídas entre as áreas de contabilidade, orçamento, recursos humanos, compras, engenharia e patrimônio. O vencimento inicial para técnico será de R$ 2.580,72 e, para analista, corresponderá a R$ 5.441,24. Vale ressaltar que estes valores já incluem a gratificação e o vale-alimentação de R$ 304.

DPU – A Defensoria Pública da União (DPU) informou, por meio de sua assessoria de imprensa, que solicitou ao Planejamento o aval para abrir 1.500 postos de trabalho para o quadro administrativo do órgão em todo o Brasil. Deste número, mil vagas serão reservadas à carreira de analista de assistência jurídica (nível superior) e 500 à atividade de técnico de assistência jurídica (nível médio). Só após o aval do Planejamento é que o órgão deverá estipular os Estados que terão ofertas e divulgará os valores das remunerações para as duas funções.
Além destas 1.500 chances para o setor administrativo, a DPU também encaminhou pedido ao Governo Federal para criar 600 novas vagas de defensor público federal, cargo que exige bacharelado em direito, inscrição na Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e experiência jurídica mínima de dois anos. Se a solicitação for atendida, o Governo Federal deverá transformar o pedido em projeto de lei, que, então, será analisado e aprovado pelo Congresso Nacional. Só após a sanção da futura lei pela Presidência da República, é que o órgão poderá realizar concurso para preencher tais oportunida

0 comentários: