Receita Federal: necessidade de concursos

 

Quem tem como objetivo ingressar na área de auditoria da Receita Federal, umas das mais atrativas do país, deve ter em mente duas constatações fundamentais: a primeira é a de que o órgão não deve tardar em abrir novos concursos para os cargos de auditor-fiscal e analista-tributário, que integram a carreira, e a segunda, de que é preciso iniciar o quanto antes a preparação, haja vista o tradicional rigor dessas seleções.
Os dois cargos têm como requisito básico o ensino superior completo em qualquer área. Os vencimentos iniciais são de R$13.600 para auditor e de R$7.996 para analista.
 Para o ex-coordenador de Gestão de Pessoas da Receita Federal, Moacir das Dores, que deixou o setor no fim de 2008 ao se aposentar, pelas características de sua atuação, o órgão não pode fugir de periodicamente promover uma renovação do seu quadro de fiscais por meio dos concursos. Um dos principais motivos seria a sua atual dimensão, que segundo ele, está aquém das necessidades.
Com 25 anos atuando na Receita Federal (no cargo de auditor-fiscal), dos quais passou 16 à frente do setor de gestão de pessoal, Moacir das Dores avaliou que o intervalo ideal entre os concursos para a carreira é de dois anos. “Dois anos eu acho que é um tempo razoável, que dá para colocar o concurso na praça, realizá-lo, depois chamar o pessoal, nomear e etc”, disse ele, acrescentado que estudo realizado na época em que era coordenador de Gestão de Pessoas do órgão utilizou esse período como parâmetro para avaliar qual seria o tempo necessário para a adequação do quadro de fiscais. O presidente do Sindicato Nacional dos Auditores-Fiscais da Receita Federal do Brasil (Sindifisco Nacional), Pedro Delarue, defende que eles sejam realizados anualmente.
Atualmente, estão vigentes os concursos para auditor e analista abertos pela Receita no ano passado. A validade de ambas as seleções expira em dezembro desse ano, mas existe a possibilidade de prorrogação até junho do ano que vem. Tomando como base o intervalo sugerido de dois anos entre a realização dos concursos, uma nova seleção para os dois cargos deveria ser aberta no fim do próximo ano. “Eu entendo que os estudos das necessidades já devem estar sendo realizados”, sustentou Moacir das Dores.
Saiba como são as provas
Projeto de vida de milhares de pessoas por todo o país, o ingresso no cargo de auditor-fiscal da Receita Federal, que está entre os mais bem remunerados do Executivo federal, passa por um processo seletivo extenso e que exige uma preparação de alto nível.
Considerando-se o modelo do concurso aberto no ano passado, a seleção começa com uma fase de provas objetivas – sendo uma de Conhecimentos Gerais e duas de Conhecimentos Específicos – que abrangem, na prática, 16 disciplinas ao todo.
Na sequência, os candidatos passam ainda por duas provas discursivas, versando sobre oito das 16 disciplinas abordadas no exame objetivo. Os aprovados são submetidos ainda a sindicância de vida pregressa e programa de formação, que no caso do concurso vigente, teve carga horária máxima de 240 horas.


0 comentários: