Guia de carreiras: agronomia; Assista

 

Mais do que gostar do campo, colher ou plantar, o engenheiro agrônomo é um profissional que precisa ter uma visão de toda a cadeia de produção, que vai da agricultura até o processo de comercialização. O curso superior, que dura em média cinco anos, habilita o engenheiro agrônomo a planejar e executar ações relacionadas à produção agropecuária.
É essa a profissão destacada pelo Guia de Carreiras, nesta terça-feira (2). A reportagem foi elaborada a partir de uma sugestão de um leitor do G1.
 Como transita por várias áreas do conhecimento, o agrônomo pode atuar em institutos e órgãos de pesquisa em vários setores como áreas técnicas, manejo de solo e animais, mecanização e agronegócios, entre outros.
O setor sucroalcooleiro, que já expandiu o mercado nos últimos cinco anos, promete ser um dos mais promissores para os agrônomos no futuro, segundo Luciano Rodrigues, gerente de economia e análise setorial da Única (União da Indústria de Cana-de-Açúcar), com sede em São Paulo.



“Em 2005, tínhamos 320 usinas de cana-de-açúcar no país. Hoje, são mais de 430. A produção de cana, que em 2005 era de 390 milhões de toneladas, hoje é de 630 milhões de toneladas. Este crescimento trouxe uma demanda muito grande de profissionais para trabalhar no setor e o agrônomo, sem dúvida, é um dos mais requisitados”, diz Rodrigues, que é formado em engenharia agronômica pela Escola Superior de Agricultura (Esalq) da USP, com campus em Piracicaba (SP).
DicaQuem pretende seguir a carreira de olho nas oportunidades do mercado precisa ter aptidão pelas ciências exatas e naturais – base das grades curriculares dos cursos de graduação, que também podem ter como nomenclatura apenas agronomia.
A dica de Rodrigues é para o estudante não ficar restrito à sala de aula e participar de projetos de pesquisa e estágios.
Para poder atuar, depois de concluir o curso, o estudante precisa obter o registro no Conselho Regional de Engenharia Arquitetura e Agronomia (Crea) do seu estado.

0 comentários: